Em entrevista à TV Assembleia, secretário Davi Telles destaca expansão do programa Maranet
10/07/2018 - 13h11 em Novidades

Na segunda-feira (9), em entrevista à TV Assembleia, no quadro “Sala de Entrevista”, do telejornal Portal da Assembleia, o secretário de Estado da Tecnologia e Inovação, Davi Telles, falou sobre os investimentos para democratizar o acesso à internet nos municípios e os projetos de fomento à pesquisa e tecnologia no Maranhão.

 

O gestor da Secti destacou o sucesso do programa Maranet, que tem levado internet gratuita às cidades maranhenses. “Nessa etapa de expansão, conseguimos viabilizar, junto aos provedores maranhenses, 61 cidades. Já inauguramos o Maranet em 15 municípios e temos o sonho de, até dezembro, chegar a 150 cidades. Sempre nas principais praças de cada uma das cidades, com uma internet de ponta”, afirmou.

 

Na entrevista ao jornalista Juraci Filho, Davi Telles também fez menção aos preparativos para a Semana de Ciência e Tecnologia no Maranhão, a ser realizada de 16 a 20 de outubro. “Este ano, teremos um tema especial: ‘Ciência para Redução das Desigualdades’. No dia 16 deste mês, faremos o lançamento do evento, oportunidade na qual apresentaremos o calendário, as atrações e toda a programação”, adiantou.

 

Fomento à pesquisa e tecnologia

 

Sobre os investimentos em pesquisa e tecnologia, o secretário destacou o sucesso do Casarão Tech Renato Archer que, segundo ele, é um dos vetores do programa Inova Maranhão. O objetivo é fomentar o ecossistema de inovação no estado.

 

“É uma rede de profissionais e empresas que têm como base a tecnologia. Já se fazia isso, mas, antes, não havia apoio necessário para desenvolver esse trabalho. Nós proporcionamos as condições estruturais, além de editais de incentivo às 14 startups selecionadas, entre outras coisas”, explicou.

 

Davi Telles ressaltou, ainda, que o país vive um momento em que os investimentos em pesquisa e tecnologia estão sendo reduzidos.  No entanto, o Maranhão tem cumprido o seu papel, indo na contramão e aumentando o fomento aos pesquisadores.

 

“Há um processo de derretimento do incentivo à pesquisa no Brasil. Experimentamos um ciclo de crescimento durante um período e, a partir de 2016, vimos um processo decrescente. O Maranhão vem cumprindo seu papel de aumentar o fomento aos nossos pesquisadores”, completou.

 

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!